Comparações do mundo real de Glassfish e JBoss 5?

Alguém tem experiências com ambos no mundo real? Como eles se comparam em termos de desempenho (uso de memory, velocidade, etc)? Estabilidade?

O JBoss Seam funciona bem no Glassfish?

Uma série de coisas da minha própria experiência:

  1. O GlassFish tem um console de administração muito melhor (o JBoss tem três consoles, cada um deles longe de ser ideal).
  2. Implantação a quente é mais confiável no GlassFish
  3. O JMS funciona melhor no GlassFish – isso se aplica ao GF vs. JBoss 4.X. Tanto quanto eu vejo a implementação do JMS foi drasticamente modificada no JBoss 5.X, então talvez essa afirmação não seja mais verdadeira
  4. WebServices estão funcionando melhor no GlassFish, eu tive vários problemas com configurações mais avançadas no JBoss
  5. O GlassFish tem mais add-ons de alta qualidade, como o HA-Database, que armazena a session do usuário em um cluster no database, não na memory, então o failover completo é possível, qualquer desastre aconteceria
  6. O JBoss é muito mais popular, existem muitos administradores, desenvolvedores, que sabem disso, então é mais fácil encontrar alguém, que possa desenvolver no JBoss, também existem mais resources na rede. Às vezes isso é mais importante, então a superioridade técnica de uma solução sobre outra.
  7. O GlassFish é mais amigável para desenvolvedores. A reimplantação do aplicativo da web no GF 3 dura mais ou menos um segundo – no oreder para atingir esse tipo de velocidade de reimplementação para o JBoss Preciso do JRebel. Além disso, se alguém estiver usando o NetBeans, há vários assistentes inteligentes que são muito úteis.
  8. O futuro do GlassFish não é certo por causa da aquisição da Sun pela Oracle. Agora, a Oracle afirma que irá apoiá-lo, mas quem sabe como será esse suporte e quanto tempo vai durar. Mesmo que o GlassFish seja open source, dificilmente alguém está pronto para desenvolver o servidor de aplicações para suas próprias necessidades …

Do meu ponto de vista, a GF é mais fácil de administrar, é uma solução melhor do ponto de vista puramente tecnológico, mas é muito menos popular e tem futuro incerto.

Eu não estou conectado de forma alguma com RedHat / JBoss ou SUN / GlassFish, minha empresa (erudis.pl) está apoiando e desenvolvendo para ambos os servidores.

(disclaimer: Eu trabalho na Sun e estou na equipe da GF)

Concordo que o Seam funciona bem no GlassFish; veja https://blogs.oracle.com/theaquarium/tags/seam

O GFv3 é bem diferente do JBoss 5; em particular:

  • O GFv3 é baseado no OSGi, enquanto o kernel do JBoss 5 é baseado no JMX.
  • O GFv3 suporta o JavaEE 6; O JBoss 5 suporta o Java EE 5.

GFv3 é projetado para ser muito modular; os serviços iniciam sob demanda, há um repository do centro de atualizações, etc. O GFv3 é significativamente menor que o JBoss 5 e será iniciado muito mais rápido. O JBoss 5.1 GA está listado como 130MB; GFv3Preview é 50MB. GFv3 começa em alguns segundos; JBoss em dezenas (você deve tentar a boot para sua própria plataforma).

Existem outras diferenças, algumas herdadas do GlassFish v2, como o Admin Console gráfico, ou o CLI de administração.

Uma comparação mais direta para o JBoss 5 seriam as versões do GlassFish v2, que são baseadas no Java EE 5. A versão mais recente dessa família é GFv2.1, com uma versão do GFv2.1.1 programada em outubro (veja https: // blogs. oracle.com/theaquarium/entry/schedule_for_glassfish_v2_1 ).

A Sun também fornece versões de correção do GlassFish (semelhante ao suporte do RedHat para o JBoss); veja https://blogs.oracle.com/glassfishforbusiness e sun.com/glassfish.

É estritamente o que você está acostumado. Eu achei que configurar e usar o JBoss seria tão agradável quanto tentar fazer a barba com uma colher dentada enquanto andava de monociclo sem assento. Glassfish, no entanto, parece funcionar.

Minha escolha é Glassfish: é mais rápido iniciar, implantar aplicativos da web. o Admin Console é muito preciso, além de ser gráfico e de linha de comando. Agora é totalmente suportado pela Oracle, o seu futuro não é mais incerto. É baseado no OSGi: é realmente modular. Você pode instalar aplicativos Spring-osgi com facilidade. Você pode escolher livremente entre Eclipse Link, Apache Open JPA e Hibernate sem dor. É muito integrado no NetBeans (e, claro, no Eclipse).

Por outro lado, o Jboss é mais difundido e, portanto, é fácil encontrar trabalho nele (IMHO porque é um antigo servidor de aplicativos; glassfish é relativamente novo).

Eu comecei a desenvolver um aplicativo Seam no JBoss e depois de alguns meses tentei fazê-lo funcionar no Glassfish. Eu achei o ambiente Glassfish muito contra-intuitivo. Eu tive que consertar alguns erros estranhos na GF e não consegui encontrar nenhuma informação na web, então depois de alguns dias eu desisti e voltei para o JBoss. Então, pessoalmente, eu não recomendaria Glassfish.

Vou ter que ir com Glassfish sobre isso. Implantando uma ampla gama de aplicativos criados em diferentes serviços web, tivemos grandes problemas de compatibilidade, resultando na personalização do carregamento da class e ainda enfrentamos muitos problemas. Glassfish Eu nunca enfrentei tais problemas.